Os Bridgertons… A New Novel “a la” Jane Austen

24 de março
Destaque / Resenhas

No final do ano aproveitei as férias para ler e reler obras da escritora que mais amo, Jane Austen, mas no meio do caminho, por intermédio da indicação de uma amiga, Carol Pina, dei uma pequena pausa para conhecer o mundo dos Bridgertons, a new novel da escritora Julia Quinn.

Já havia adquirido os quatro primeiros volumes na Bienal do Livro de SP, mas os tinha deixado na lista de espera… Mas quando a Carol me falou que era um super romance “a la” Jane Austen e que ela não conseguia parar de ler… Não resisti a tentação e comecei a ler também.

Que tudo!! Que demais!! Não é a toa que Julia Quinn tornou-se a mais jovem autora a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame. Seus romances nos levam a vivenciar uma outra época a nossa, com riqueza de detalhes, com a magia dos romances de Jane Austen e, principalmente, com personagens encantadores e perspicazes que nos levam de fato a querer viver junto com eles os dramas, as alegrias, as aventuras que cada um dos Bridgertons nos oferecem.

Além de viajar literalmente nos bailes, festas, jardins e casarões de outra época, não pude deixar de lembrar de uma série de TV bem recente, Gospel Girl, quando lia as notícias das Crônicas da Sociedade de Lady Whistledown, a coluna semanal que trazia o resumo e as considerações da escritora sobre cada um dos membros da alta-sociedade que estavam presentes nos eventos e bailes da temporada. Detalhe, assim como a Garota do Blog, Lady Whistledown é alguém que todos conhecem, mas ninguém sabe quem é. Fantástico!!

Book 2

Confesso que até o momento o meu preferido é O Visconde que me amava (2), pois adorei a perspicácia e a inteligência da personagem Kate Sheffield, assim como todo o enredo da história: a forma como ela e Anthony Bridgerton se apaixonam, as confusões as quais se metem, os risos  que os contagiam e as surpresas reservadas a ambos quando estão juntos.

Droga. Ele nem sequer gostava daquela mulher. Ela era muito mandona, muito teimosa, e tirava conclusões rápido demais. E não era nem bonita – ao menos quando comparada a algumas das damas que estavam em Londres para a temporada, principalmente a própria irmã. […] Tudo nela era excessivo. […] tudo o que ele via eram os lábios, cheios, carnudos e eminentemente beijáveis. Beijáveis? Anthony estremeceu.

Fiquei surpresa, também, com Os Segredos de Colin Bridgerton (4), pois o enredo do quarto volume traz todas as situações mais inesperadas e improváveis que imaginamos, incluindo o casal que se formará, mas que no fundo torcíamos para que acontecesse. Além de me divertir muito (de gargalhar) com a adorável, inteligente e bem-humorada Penelope Featherington, que guarda um segredo ainda maior que o de Colin Bridgerton – “irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres”.

Já, a história entre o charmoso Benedict Bridgerton e Sophie Beckett, em Um Perfeito Cavalheiro (3), me emocionou muito e me levou a fantasiar com um dos contos de fadas que mais gostava quando menina: Cinderela. A jovem linda e inteligente, criada pela madrasta, que sonha com o impossível: ir a um evento da sociedade londrina, e o jovem charmoso e cavaleiro da realeza que uma faísca se acende quando a vê pela primeira vez durante o baile. Mas, ao contrário de Cinderela que continua a viver sua vida até que o príncipe a procure com o sapato de cristal… Sophie e Benedict irão lutar contra o que sentem um pelo o outro e “reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas”.

E, finalmente, O Duque e Eu (1) é o romance inicial que nos prende a série de livros, incutindo em nossos pensamentos o desejo de não querer largar cada um dos livros até que cheguemos ao seu fim. Daphne Bridgerton e Simon Basset viverão uma história intensa, repleta de aventuras e humor, desde o primeiro encontro do jovem casal quando Daphne tenta se ver livre de um dos jovens que a corteja. A partir desse primeiro encontro e da descoberta que Daphne é a irmã mais nova de seu melhor amigo, o casal irá lutar pelo poder do amor que os atinge.

Bom… Espero que o preview de cada livro tenha atiçado a curiosidade de vocês e espero que até o dia desta postagem, eu já tenha lido e me encantado ainda mais com Para Sir Phillip, com amor (5).

By Danny Leal

Postado por @rtrevimento em 24 mar 2015
Categorias: Destaque, Resenhas

Deixe um comentário