Jane Austen e Suas Novelas Inacabadas

02 de junho
Destaque / Resenhas

Até poucos anos atrás, no Brasil e em boa parte do mundo, tinhasse conhecimento apenas das obras Razão e sentimento, Orgulho e preconceito, Emma, Mansfield Park, A abadia de Northanger e Persuasão. Já, na Inglaterra, país de Jane Austen, eram conhecidas, também, sua juvenília (peças satíricas escritas para divergente da família e de amigos) e duas novelas inacabadas: Os Watsons (1801-1806) e Sandition (1817).

No Brasil, em 2013, com a tradução de Ivo Barroso e apresentação de Raquel Sallaberry, as duas novelas inacabadas ganharam uma edição especial, em capa dura, Jane Austen Novelas Inacabadas – Os Watsons e Sandition, com tradução impecável, além de introduções comentadas antes de cada história, permitindo ao leitor conhecer em que momento Jane Austen começou a escrever tais histórias, em que momento as parou de escrever, bem como comentários sobre demais edições de ambas as novelas e sobre autores que tentaram dar continuidade e um fim para ambas.

Book 16

Em ambas as histórias ficamos com a sensação que os personagens pararam no tempo… que a conversa poderia ser continuada… que os personagens ficaram eternizados no tempo, mas suas histórias não tiveram aquele tão esperado final que ansiávamos.

A primeira reunião social de inverno na cidade de D., em Surrey, estava marcada para a terça-feira, 13 de outubro, e havia grande expectativa de que seria muita animada. Contava-se como certa a presença de uma longa lista de pessoas do município, e alimentava-se grande esperança de que até a família Osborne estaria presente. E é claro que o convite habitual dos Edwards fora feitos aos Watsons.

Jane Austen nos surpreende em cada uma de suas histórias. Ainda que inacabadas vivemos e sentimos o mesmo que seus personagens; continuamos a transpor a cenas da ficção para as cenas da vida real, independente do tempo, do espaço e dos personagens que dela fazem parte.

Charlotte já estava havia dez dias em Sanditon e ainda não tinha ido a Sanditon House, todas as tentativas de visitar lady Denham frustradas por tê-la encontrado de antemão. Agora, no entanto, impunha-se empreender essa visita com uma determinação mais firme, em hora menos tardia, de modo a que nada fosse negligenciado nas atenções devidas a lady Denham ou nas distrações de que Charlotte era merecedora.

Ao final de cada história, criamos em nosso imaginário um dos muitos finais possíveis. Nos questionamos como seria o final dado por Jane Austen. E, há horas que não sabemos mais se o que criamos é verdadeiramente nosso ou se misturamos com os finais das outras seis grandes novelas de Jane Austen.

O que posso dizer, então, de suas novelas inacabadas, é que a única certeza que temos, no fim da leitura, é que continuaremos a amar ainda mais cada um dos romances de Jane Austen, mesmo que inacabados. Quer experimentar para ver?

By Danny Leal

Postado por @rtrevimento em 02 jun 2015
Categorias: Destaque, Resenhas

Deixe um comentário