Um Último Post…

27 de julho
Destaque / Resenhas

Como diria Fernando Pessoa:


“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia. Se não ousarmos a fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos”.


Este é o melhor verso que me define, pois de tempos em tempos preciso mudar, preciso seguir em frente abandonando as “antigas roupas”, para dar lugar às novas. E, hoje, é um desses momentos…

É também com este verso que deu origem ao @rtrevimento que encerro minha fase como blogueira. Ou melhor, é com ele que encerro um projeto que há pouco mais de dois anos ganhou vida e alma, mas que agora já não tem a mesma força e as mesmas motivações que antes – um ciclo se encerrou.

Escrever sobre o que leio, o que vejo, o que penso, é uma grande paixão… é um amor eterno que continuarei até o final de minha vida. Entretanto, não com a mesma frequência de antes e muito menos no Blog que tinha por objetivo compartilhar postagens semanais – no início eram diárias, diminuiriam-se os dias, passaram a ser semanais, agora não estão sendo escritos…

O tempo, hoje, faz-se escasso… a escrita prazeirosa tem dado lugar a escrita acadêmica… a leitura, o visitar, a curiosidade continuam a existir, mas, infelizmente, não para poder ser compartilhado como antes. A paixão de escrever precisa de tempo, de momento, de canção e de palavras sábias… Hoje, o tempo não tem permitido tal inspiração…

Obrigada pelo carinho de todos que seguiram e apoiaram desde o começo o projeto @rtrevimento!! Obrigada pelas palavras amigas, pelas curtidas ou mesmo pelas simples visualizações, sem comentários ou curtidas. Sei que estavam sempre presentes!!

Não digo que será um adeus, pois ainda continuarei a compartilhar ideias, pensamentos, leituras, filmes no Instagram. Digo um até breve, pois quem sabe, com o tempo, a inspiração volte, o tempo amplie-se e o @rtrevimento volte a renascer com novos post’s, novas ideias e muito amor e carinho para alegrar o dia de alguém. Então… Até breve!!

Captura de Tela 2015-07-27 às 14.09.08

Com carinho, Danny Leal

Uma Pequena Casa De Chá Em Cabul… Um pouco do Afeganistão por Deborah Rodriguez

16 de junho
Destaque / Resenhas

Esta semana, precisamente no próximo domingo, começa o inverno. O clima incerto, ora calor, ora frio, dá lugar aos dias frios, aos dias de aconchego embaixo das cobertas, no sofá ou na cama, lendo um bom livro, assistindo aquele filme, em casa, que não deu tempo para ir ao cinema ou que faltou coragem para ir. O clima incerto dá lugar, principalmente, aos dias de céu azul e vento geladinho que nos levam a celebrar a vida, a família, as amizades com aquele velho e maravilhoso chá, não é verdade?

Então, que tal, agora, neste exato momento, você aí, que está a ler esta resenha, sair um pouco do quentinho do seu aconchego para vivenciar comigo as experiências de uma famosa casa de chá? Uma casa de chá que guarda em si as histórias de cinco mulheres bem diferentes, mas que compartilharão entre si uma conexão que as levará a mudar o rumo de suas próprias vidas e o da vida de muitas outras mulheres.

Uma casa de chá localizada em Cabul, no Afeganistão, onde o medo e a insegurança move cada passo das pessoas que lá vivem, diária e continuamente. Uma casa de chá que irá tirar o véu do rosto das mulheres do Afeganistão, por meio de ricos personagens que iluminam cada página, mas principalmente que irá nos revelar detalhes de uma cultura, das tradições de um país cheio de regras, princípios, mas também de uma beleza particular, que somente pode ser vista por quem lá viveu ou passou.

Book 18

Pela Luz Dos Olhos Seus… A Música Nas Palavras de Janine Boissard

09 de junho
Destaque / Resenhas

No dia 05 de Março, aqui no Brasil, comemorou-se o Dia da Música Clássica ou Erudita.

Para comemorar este dia tão especial, pois sou uma amante da música clássica, fiz a leitura de um livro que me deixou inebriada por sua história de amor, mas principalmente pela riqueza de nuances que envolveu a história dos personagens.

Nuances que vão muito além do simples ato de escutar ou apreciar uma música clássica. Nuances que envolvem a intensidade das sensações que cada uma das notas pode oferecer. Nuances que cada tipo de acorde ou timbre de voz podem nos estremecer quando de fato nos envolvemos com a verdadeira percepção musical.

Em Pela luz dos olhos teus, Janine Boissard nos apresenta a história de Laura Vicent, uma assessora de música que passou a infância e a adolescência se considerando o “patinho feio” se comparada a sua irmã, e Claudio Roman, um famoso, bem sucedido e amargo tenor que, devido a um ataque criminoso, perde a visão.

Book 22

Jane Austen e Suas Novelas Inacabadas

02 de junho
Destaque / Resenhas

Até poucos anos atrás, no Brasil e em boa parte do mundo, tinhasse conhecimento apenas das obras Razão e sentimento, Orgulho e preconceito, Emma, Mansfield Park, A abadia de Northanger e Persuasão. Já, na Inglaterra, país de Jane Austen, eram conhecidas, também, sua juvenília (peças satíricas escritas para divergente da família e de amigos) e duas novelas inacabadas: Os Watsons (1801-1806) e Sandition (1817).

No Brasil, em 2013, com a tradução de Ivo Barroso e apresentação de Raquel Sallaberry, as duas novelas inacabadas ganharam uma edição especial, em capa dura, Jane Austen Novelas Inacabadas – Os Watsons e Sandition, com tradução impecável, além de introduções comentadas antes de cada história, permitindo ao leitor conhecer em que momento Jane Austen começou a escrever tais histórias, em que momento as parou de escrever, bem como comentários sobre demais edições de ambas as novelas e sobre autores que tentaram dar continuidade e um fim para ambas.

Book 16

Lady Susan… Um Romance de Jane Austen

26 de maio
Destaque / Resenhas

Book 9

Lady Suzan, o romance epistolar de Jane Austen, foi escrito entre os anos de 1794 e 1805, e não recebeu muita atenção dos leitores em comparação com os seus outros seis romances.

A cópia do manuscrito original nunca chegou a ser encaminhada a nenhum editor; mantendo-se assim até cerca de 54 anos após a morte de Jane Austen. Sua primeira publicação ocorreu no formato de apêndice, no de 1871, na segunda edição do A Memoir of Jane Austen, biografia da autora escrita por seu sobrinho James Edward Austen-Leigh.

Lady Suzan, considerada uma das melhores personagens de Jane Austen, principalmente por se diferenciar de todas as demais protagonistas, é linda e suscita paixão nos homens (coquete). Viúva na casa de seus 30 anos de idade, Lady Suzan busca um novo e vantajoso matrimônio para si, ao mesmo tempo em que tenta um casamento para a filha, a jovem e doce Frederica. Para isso, ela preenche sua agenda de compromissos com convites de visitas à família dos parentes de seu falecido marido, repleta de manobras astuciosas para conseguir o que quer. Entretanto, sua chegada à propriedade rural do irmão de seu falecido esposo cumina com boatos de um escândalo: Lady Suzan teria sido expulsa de Langford por tentar seduzir o marido de Mrs. Manwaring e o noivo da jovem cunhada.